Mensagem de erro

  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).
  • Warning: preg_match() [function.preg-match]: Compilation failed: disallowed Unicode code point (>= 0xd800 && <= 0xdfff) at offset 1811 em ctools_cleanstring() (linha 157 de /home/tric/public_html/sites/all/modules/contrib/ctools/includes/cleanstring.inc).

Qual é a melhor agulha de tricô?

Agulhas de tricotar em madeira

Existem vários tipos de agulhas específicas para os trabalhos de tricô e cada uma varia entre si – o tamanho e a espessura, por exemplo, são fatores diferenciadores que indicam que determinada agulha é mais adequada a determinado projeto de tricô do que outra. Porém, a escolha da melhor agulha de tricô também pode levar em conta o material que a compõe e o esforço que exige ou não na hora de tricotar.

As melhores agulhas de tricô em termos de materiais

Mais ou menos pesados, mais ou menos lisos, os diferentes materiais que compõem uma agulha de tricô podem influenciar a forma e a rapidez com que se trabalha – escolha a mais indicada para si!

  • Agulhas de plástico: o plástico é normalmente reservado às agulhas maiores e mais grossas e, para evitar que estas não se tornem muito pesadas, o seu interior é oco. 
  • Agulhas de alumínio: cada vez mais populares, as agulhas de alumínio – com ou sem revestimento – são extremamente leves e fáceis de manusear. Este tipo de material permite que as malhas deslizem facilmente, o que pode auxiliar o trabalho a uns, mas dificultar a outros. Por isso mesmo, não há nada como experimentar.
  • Agulhas de metal: mais pesadas do que as restantes agulhas para tricotar (o que se pode tornar inconveniente para algumas pessoas), as agulhas de metal são bastante lisas, o que permite que as malhas deslizem facilmente – uma grande vantagem quando se trabalha com pontos mais abertos.
  • Agulhas de madeira/bambu: mais leves do que as agulhas de metal, as agulhas de madeira/bambu também permitem que as malhas deslizem de uma forma suave, mas facilmente controlável. Ótimas para tricotar horas a fio, as agulhas de madeira/bambu são especialmente indicadas para quem tem problemas nas articulações. Escolha sempre uma agulha de madeira com qualidade, pois, assim evitará que esta comece a lascar, prendendo fios e magoando mãos. Mesmo quando as agulhas de madeira de qualidade começaram a ficar mais ásperas, basta uma boa lixadela para voltarem ao seu estado original. Uma agulha de madeira de elevada qualidade é aquela que é feita com madeira de ébano ou de roseira – se puder, opte por estas!

As melhores agulhas de tricô em termos de trabalho/esforço

Tricotar exige algum esforço sobre mãos, braços e ombros, por isso, saiba que em termos de trabalho e força, existem algumas agulhas de tricô que são mais indicadas do que outras.

  • Agulhas de tricô clássicas: apesar de serem uma das principais agulhas de tricô, as agulhas clássicas têm uma desvantagem – por serem tão compridas e espessas, a maior parte do trabalho fica concentrado nas pontas das mesmas, o que torna o trabalho mais pesado e isso pode refletir-se através de dores e/ou cansaço nas mãos, braços e ombros. Por isso mesmo, já existem agulhas cuja espessura específica está exclusivamente concentrada nas pontas, aliviando assim um pouco a carga de trabalho.
  • Agulhas de tricô auxiliares: porque são sujeitas a movimentos repetidos – é essa a sua principal função e cumpre-a muito bem – as agulhas de tricô auxiliares (ou agulhas para tranças como também são conhecidas) têm a desvantagem de se partirem fácil e frequentemente.
  • Agulhas de tricô de duas pontas: extremamente práticas, as agulhas de tricô de duas pontas são usadas em conjuntos de 4 ou 5, o que não só facilita o trabalho, como se torna particularmente eficiente quando se quer tricotar luvas, meias ou outros trabalhos de tricot com diâmetros reduzidos.
  • Agulhas de tricô circulares: apesar de serem indicadas para tricotar peças redondas ou em forma de tubo, há quem aprecie a utilização das agulhas de tricô circulares também em trabalhos de tricot a direito, uma vez que permitem que a parte da peça já tricotada repouse sobre o colo, aliviando assim o peso nas mãos e braços, bem como o esforço e a tensão nos ombros.

Agulhas de tricô flexíveis: ideais para trabalhos de grandes dimensões, as agulhas de tricô flexíveis são uma boa alternativa às agulhas de tricô clássicas porque, para além de terem a espessura apropriada nas pontas, o cabo de plástico permite que as malhas deslizem facilmente enquanto se trabalha e que a peça já tricotada possa estar pousada, não sobrecarregando assim as mãos, os braços e os ombros.

Comentários

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários

Votação

Quando é que costuma tricotar mais?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.